Publicado em: 28 Julho, 2020

OUVIDO DE NADADOR: Cuidados a ter

otite externa; otite do nadador

O que é?

O ouvido de nadador é uma inflamação ou infeção do canal auditivo externo, que vai do tímpano até ao pavilhão auricular. É provocado pela humidade que fica no ouvido, após nadar, criando um ambiente húmido, que favorece o crescimento bacteriano. Esta patologia é, também, conhecida como otite externa aguda ou otite externa, só!

Quem está mais predisposto a esta doença?

Nadadores, surfistas e praticantes de desportos aquáticos, que estão expostos a condições húmidas e quentes, estão mais predispostos a esta doença.

Que outros fatores de risco contribuem para o aparecimento desta inflamação?

Colocar as unhas, cotonetes ou outros objetos nos ouvidos, também pode levar ao aparecimento do ouvido de nadador, devido ao facto de tais ações poderem criar fissuras na pele, que reveste o canal auditivo e facilitarem a penetração dos agentes infeciosos! Para além do trauma mecânico, há condições subjacentes da pele- secura, por ausência de cerúmen, eczema, psoríase, dermite seborreica, etc…, que constituem fatores de risco para o aparecimento desta doença!

Quais as queixas principais?

As queixas principais são comichão, seguida de dor, progressivamente mais intensa, sensibilidade no pavilhão auricular e inchaço do canal auditivo, que pode levar ao bloqueio do mesmo. Na sequência aparecem o pus (otorreia), sensação de ouvido tapado e diminuição da audição e. muitas vezes, dor ao mastigar! Pode aparecer um pequeno “papo” no pescoço, logo abaixo da orelha. Esta infeção é mais perigosa em doentes diabéticos!

Quando se deve iniciar o tratamento?

O tratamento deve iniciar-se, se necessário, com a limpeza, por parte do médico de otorrinolaringologia, do canal auditivo, com a remoção de detritos e aspiração de pus, caso exista e observação da integridade da membrana timpânica.

A suspensão da entrada de água, mesmo em casa, no banho, é fundamental para a boa evolução da situação; a aplicação de gotas auriculares é obrigatória e, nos casos mais ligeiros, pode resolver o problema. Caso o canal auditivo esteja bloqueado pelo inchaço, as gotas devem ser colocadas por outra pessoa e o doente deve permanecer deitado, virado para o lado contrário, durante alguns minutos.

O doente deve tomar um anti-inflamatório e analgésico, mal inicie os sintomas.

Nos casos mais graves, com presença de dor acentuada, pus e inchaço do canal auditivo, é necessário o uso de antibioterapia oral, com antibiótico adequado a este tipo de infeção. Por vezes, há necessidade de medicação injetável (nos diabéticos, por ex.).

Como prevenção e, essencialmente, após um primeiro episódio, os ouvidos devem estar limpos e secos e evitar cotonetes, ou outros objetos traumáticos, no canal auditivo. O uso de tampões auriculares é muito importante, particularmente na natação em piscinas e a touca pode ser também necessária.

Fonte: Dr. João Pereira – Otorrinolaringologista

Artigos relacionados